Login

Ceprol: protegendo talentos por meio da educação

1 de março de 2017 Sem Comentários

Entrevista e reportagem realizadas por Irinéa Donizete, em 19/02/2017, a serviço do Jornal Comércio da Franca

O Ceprol de Franca (Centro Promocional Nossa Senhora de Lourdes) está comemorado seu cinquentenário este ano. Marcando o início das festividades, no último sábado, dia 11, foram realizadas apresentações dos alunos atendidos pela entidade e de convidados especiais na área central da cidade. No mesmo dia, foi lançada a campanha “1 milhão de centavos”, que tem o objetivo de arrecadar verbas para ajudar a entidade a manter suas atividades. No domingo, uma missa foi realizada pelo Bispo Dom Paulo Roberto Beloto na Catedral. A programação dos 50 anos segue em junho e agosto, quando ocorre uma grande festa de encerramento, que pretende reunir parte dos alunos beneficiados pela instituição nestas últimas cinco décadas.

Tudo começou em 1888, quando um grupo de Irmãs de São José de Chambéry (congregação nascida na França em 1650 e que veio para o Brasil, em 1858, para a criação de um colégio de educação feminina, em Itu) chegou a Franca, junto com a superiora provincial Madre Theodora Voiron, para a fundação do Colégio Nossa Senhora de Lourdes (no antigo prédio da Unesp). Em 1890, foi fundado o Externato São José (de ensino gratuito para meninas) em um prédio doado por Major Claudiano Ferreira Martins e sua esposa Mariana Ferreira Martins. Em 1967 foi inaugurado o Ceprol como trabalho social.

Atualmente, há três núcleos do Ceprol na cidade: no Centro, no City Petrópolis e no Ângela Rosa, que atendem ambos os sexos, de 6 a 17 anos, em dois períodos que funcionam como uma extensão escolar, ou seja, antes ou após o horário da escola. O objetivo é oferecer atividades intelectuais às crianças e jovens e tirá-los das ruas, na tentativa de reduzir o contato com situações de riscos, criminalidade e drogas.

De acordo com registros do Ceprol, estima-se que mais de 20 mil jovens tenham sido atendidos. A maioria tem em comum a situação de pais trabalhando em período integral e são oriundos de família sem recursos financeiros para proporcionar uma segunda atividade para o filho ou contratar alguém para ficar com as crianças. O Ceprol é mantido pela Associação de Instrução Popular e Beneficência (Sipeb) com ajuda da Prefeitura Municipal e Secretaria da Educação.

No Ceprol há 10 anos, a assistente administrativa Maria Silvia dos Santos Costa é considerada a porta-voz da entidade. Ela recebeu a reportagem do Comércio acompanhada pela diretora, a irmã Ana Maria da Costa, e pelo coordenador pedagógico, Adriano Diógenes Isaías de Andrade. Durante a entrevista, o trio e ressaltou a importância do Ceprol para a comunidade, suas conquistas e projetos futuros com foco nas crianças e no fortalecimento das famílias.

Para o Ceprol, a sociedade tem que pedir urgência na criação de centros promocionais e oficinas geradoras de talentos, monitorada por educadores. “É para responder a essa realidade que os projetos do Ceprol estão focados para acolher estes indivíduos em fase de construção”, disse Maria Silvia.

Há diferença entre o perfil de crianças e jovens atendidos nos três núcleos do Ceprol em Franca?
O Ceprol do Centro atende crianças de 6 a 10 anos e 11 meses. Ele está ligado à Secretaria de Educação, então é seguido o currículo do ensino fundamental. Os outros núcleos (Ângela Rosa e City Petrópolis) são ligados à Secretaria de Ação Social e atende alunos de 6 a 17 anos. É desenvolvido um serviço de convivência e fortalecimento de vínculos. O Cras (Centro de Referência de Assistência Social) é o responsável pela triagem destas duas unidades. Geralmente são crianças que recebem o Bolsa Família, que sofreu algum tipo de negligência ou deve cumprir medida socioeducativa. No Centro, são 171 vagas e nos núcleos descentralizados são 50 atendimentos por dia cada um.

Ainda há vagas no Ceprol?
No momento, foi atingido a meta. Há uma lista de espera.

Qual o diferencial desta instituição?
O Ceprol funciona como uma extensão escolar que trabalha valores, cidadania e a dignidade humana. Os alunos não vão lá para ter uma segunda aula. Eles somam o aprendizado que tiveram na escola com uma série de atividades socioeducativas que envolvem dinâmicas, esportes, oficinas de artesanato, música, cultura, informática e jogos de raciocínio.

Como funciona este método?
O objetivo das nossas atividades dentro da área da educação é que ela traga o conhecimento que ela adquiriu na escola e coloque em prática aqui. Temos a intenção de estimular este aprendizado. Nos núcleos Ângela Rosa e City Petrópolis, a atenção especial é voltada para os alunos terem a percepção da comunidade e da realidade em que estão inseridos para ela criar/pensar alternativas de mudar um contexto de risco. Nós damos elementos para que ela consiga se descobrir e ter a força de mudar/transformar seu futuro.

Qual a grande conquista do Ceprol nestes últimos anos?
Os núcleos descentralizados criados há três anos foram uma conquista (núcleo City Petrópolis foi inaugurado em 2014 e o do Ângela Rosa em 2016). Se aproximar das comunidades e das famílias dos alunos é importante. Eles tiveram uma economia quanto à questão dos transportes. Muitos desembolsavam, sem poder, até R$ 180 por mês com van, por exemplo. O Ceprol saindo do Centro e indo para os bairros facilitou este deslocamento.

Quantos professores/educadores compõe o Ceprol atualmente?
Temos orgulho em dizer que contamos hoje com 22 colaboradores capacitados e em constante treinamento, o que nos ajuda a conduzir as ações educativas para nossos alunos.

Os alunos que frequentam o Ceprol pagam alguma taxa pelo atendimento?
Não. Nosso serviço é gratuito. Cada aluno recebe duas refeições e orientações básicas de higiene para prevenção de doenças.

Qual o objetivo da campanha solidária “1 milhão de centavos”?
Precisamos da ajuda da comunidade de Franca para expandir nossos projetos. Queremos adaptar os núcleos para atender nossos alunos especiais, por isso, está em vista uma obra voltada para melhorar a acessibilidade nas unidades. Além disso, temos obras futuras para continuar melhorando os nossos serviços. Acreditamos que o caminho para um futuro melhor é esse: apoiar e incentivar nossas crianças e jovens despertando talentos através da educação.

Fonte: http://gcn.net.br/noticias/345225/franca/2017/02/ceprol-protegendo-talentos-por-meio-da-educacao

Foto de: William Borges/Comércio da Franca

Deixe o seu Comentário!